Antonia Wagerle Bernasconi (c.1741-1803)


Antonia Wagerle (ou Wagele) nasceu na Alemanha, possivelmente em Stuttgart, em cerca de 1741. O historiador Nestore Pelicelli acredita porém que ela tenha nascido em Parma, 1748. Após a morte de seu pai, um escudeiro do Duque de Württemberg, sua mãe casou em 1743 com o compositor italiano Andrea Bernasconi (c.1706-1784). Bernasconi mais tarde se tornaria professor de canto de Antonia, que mais tarde adotaria o sobrenome do padrasto. Ela também teria sido aluna de A. Hasse e Vittoria Tesi-Tramontini. Em 1753, Andrea assumiu o cargo de vice-kapellmeister em Munique, e dois anos depois o de kapellmeister.

Antonia Bernasconi estreou como cantora em 1762 como Aspasia na ópera Temistocle de Andrea Bernasconi, em Munique.

Ela foi contratada em Viena a partir da temporada de 1765-6, onde a princípio interpretou papéis cômicos, entre eles Sandrina em La contadina in corte de Antonio Sacchini e também na ópera La buona figluola de N. Piccini. No ano seguinte ela obteve seu primeiro sucesso notável no papel-título de Alceste de C. W. Gluck em 26 de dezembro. Ela se tornaria uma das grandes intérpretes de opera seria na década seguinte, embora ocasionalmente ainda cantasse papéis de soubrette.

Quando o jovem Mozart visitou Viena pela segunda vez, em 1767-8, recebeu um convite, embora verbal, do Imperador Joseph II para escrever uma ópera. O resultado foi La finta semplice K.51/46a, na qual Antonia Bernasconi cantaria o papel de Ninetta. Intrigas, porém, (especialmente de Giuseppe Affligio, responsável pela Ópera), impediram que La finta semplice fosse apresentada.

Curiosamente, Antonia Bernasconi foi expulsa de Viena em 27 de maio de 1770 foi "ofensa aos bons costumes". Esse motivo vago pode sugerir um escândalo amoroso, ou mais provavelmente, suas tendências ilumistas e maçônicas. Ela então partiu para a Itália.

Em Milão, 1770, Mozart novamente escreveria um papel para a Bernasconi; dessa vez seria o papel de Aspasia na opera seria Mitridate K.87/74a. Segundo cartas de Leopold Mozart à sua esposa em 10 e 17 de novembro de 1770, Bernasconi estava tão maravilhada com suas novas árias que recusara o pedido de um "compositor desconhecido" para substituir as árias do jovem compositor. Essa prática era bastante comum na época. Especula-se que o "compositor desconhecido" fosse o kapellmeister local Abade Quirino Gasparini. Apesar disso, ela solicitou que Mozart alterasse a sua primeira ária, "Al destin che la minaccia". Ainda naquele mês, Bernasconi cantou num concerto de Mozart na residência do Conde Firmian.

Em março de 1771 ela esteve em Bolonha, onde cantou em Teseo in Creta de Brizio Petrucci no Teatro Spada de Cesena em homenagem ao Cardeal Pallavicini. Em 8 de abril ela partiu para Veneza onde cantou na ópera Adriano in Siria de Antonio Sacchini no Teatro di San Benedetto. Na temporada seguinte ela cantou nas óperas Andromaca de Ferdinando Bertani, Artaserse de Vincenzo Manfredini e Ezio de Giuseppe Gazzaniga.

Em agosto de 1772 Antonia Bernasconi cantou em Nápoles, e lá ficou até 1775. Ela participou da ópera Achille in Sciro de Antonio Amicone, em 13 de agosto, e da Cantata di Spagna de Niccolò Jomelli. Quando cantou Euridice em Orfeo ed Euridice nesse período, ela teria feito um gesto de significado maçônico ao público.

Antonia Bernasconi cantou em diversas cidades italianas até 1778, quando foi contratada pelo King's Theatre em Londres. Ela estreou na Inglaterra com o pasticcio Demofoonte em 28 de novembro. Segundo Charles Burney, "ela tinha uma maneira de cantar pura e elegante, embora com uma voz frágil e em decadência." Bernasconi permaneceu na Inglaterra até 1780, e lá, a maior parte dos papéis que cantou eram cômicos.

No ano seguinte, talvez devido à influência de Gluck, ela retornou a Viena com um invejoso salário de 500 ducados por ano. Mozart, que já então vivia na cidade, estava cético e confuso quanto a nova contratação, e escreveu ao pai em 29 de agosto que, embora ela "permanecesse a eterna Bernasconi" dos papéis trágicos, ele não cria que sua voz fosse mais adequada aos papéis leves; e seu canto estava "tão deteriorado que ninguém mais escreverá para ela."

Mesmo assim, ainda em setembro daquele ano, Mozart estava disposto a confiar-lhe o papel de Ilia numa versão alemã de Idomeneo K.366. Esse projeto, porém, não foi adiante, talvez devido ao fato de que várias óperas de Gluck estavam sendo ensaiadas e apresentadas naquele período; de fato, Antonia Bernasconi cantou novamente no papel-título de Alceste, que fez enorme sucesso; Euridice em Orfeo ed Euridice;  e Iphigenie na versão alemã de Iphigénie en Tauride em 23 de outubro.

Antonia Bernasconi deixou Viena na primavera de 1782. Na primavera de 1786 ela cantou Armida de Sacchini no Teatro della Cittadella em Piacenza. Em outubro daquele ano, participou de Diddone abbandonata de G. Sarti no Teatro Publico di Lucca.

Acredita-se que ela eventualmente tenha retornado a Viena, onde teria falecido em 1803.


Parentes e amigos

Index