Francesco Bussani (1743-a.1807)


Francesco Bussani nasceu em Roma, 1743, e estabeleceu uma boa reputação cantando na Itália. Ele foi contratado em Viena pela primeira vez no início na década de 1770, e um dos seus primeiros papéis foi o Gran Sacerdote na reapresentação de Alceste de Gluck.

 

Ele foi contratado novamente em Viena para a reabertura da Ópera Italiana em 22 de abril de 1783 no papel de Lumaca em  La sucola de' gelosi de Salieri ao lado de Benucci, Michael Kelly e Nancy Storace. Bussani também cantou nos papéis de: Figaro em Il barbiere di Siviglia de Paisiello (13 de agosto de 1783); Belfiore em Fra i due litiganti il terzo gode de Sarti (28 de maio de 1783); Achmet III em Il rè Teodoro in Venezia de Paisiello (23 de agosto de 1784); Biaggio em La villanella rapita de F. Bianchi (25 de novembro de 1785); Bartolo e Antonio em Le nozze di Figaro K. 492 de Mozart (1º de maio de 1786); Mister Dull em Le gare generose de Paisiello (1º de setembro de 1786); Arteneo em Axur, rè d'Ormus de Salieri (8 de fevereiro de 1788); Don Alfonso em Così fan tutte (26 de janeiro de 1790); e Don Alfonso em La bella pescatrice de Guglielmi (26 de abril de 1791).

 

Mozart também escreveu para Bussani o quarteto Dite almeno in che mancai K.479 para inserção na ópera La villanella rapita de F. Bianchi, além do papel de Pulcherio em sua ópera incompleta Lo sposo deluso K.430/424a, e talvez também tenha criado o papel de Chichibio ou Don Pippo para ele, em outra ópera incompleta L'Oca del Cairo K.422.

 

Francesco Bussani casou com Dorothea Sardi em 20 de março de 1786. Bussani também era diretor de cena, de algumas óperas, inclusive Prima la musica, poi le parole de Salieri em Schönbrunn, 7 de fevereiro de 1786. Nessa ocasião ele recebeu 50 ducados do Imperador. O libretista Lorenzo da Ponte escreveu em suas memórias que Bussani era um intrigante e um de seus piores inimigos em Viena, e que teria intercedido junto ao Conde Rosenberg-Orsini para retirar o balé do terceiro ato de Le nozze di Figaro. Eventualmente o balé foi restituído por fazer parte da continuidade dramática. Da Ponte também se referia com sarcasmo à falta de talento de uma "mulher italiana", que acredita-se ser Dorothea Bussani.

 

Os Bussani não renovaram seus contratos para a temporada de 1794 e partiram, após um concerto de despedida em 9 de março, para a Itália. Eles retornaram a Viena por três meses em 1796, mas novamente não fizeram muito sucesso. Dorothea cantou em Lisboa entre 1807 e 1809, mas não se tem notícia de seu marido a partir de 1807. Acredita-se que ele tenha falecido nesse ano ou nos seguintes.


Parentes e amigos

Index