Rosa Manservisi (?-?)


Rosa Manservisi foi um soprano de quem pouco se sabe sobre a vida pessoal. Ela cantou em Munique no início da década de 1770. Charles Burney escreveu sobre ela em 1772: "Sua aparência é agradável, sua voz, apesar de não ser forte, é bem intonada, não há nada vulgar em seus gestos, é afinada e nunca ofende o ouvido."

Mozart escreveu para ela o papel de Sandrina em La finta giardiniera K.196, que estreou em 13 de janeiro de 1775. Ela também foi contratada em Viena a partir de 1º de outubro de 1783. Rosa Manservisi estreou em 14 de novembro como Berenice em La finta principessa de Felice Alessandri. Ela também cantou nos papéis de Donna Stella em La frascatana (8 de dezembro de 1783), Camilletta em La finta amante (20 de junho de 1784) e Belisa em Il rè Teodoro in Venezia (23 de agosto de 1784), óperas de Paisiello; Carlotta em I contratempi de G. Sarti (26 de abril de 1784) e Lauretta em Il rico d'un giorno de A. Salieri (6 de dezembro de 1784).

Embora fosse uma cantora muito produtiva e nunca chegasse a desagradar completamente em suas apresentações, Rosa Manservisi nunca fez um grande sucesso em Viena. Zinzendorf escreveu em seu diário que ela era feia e estridente; ele considerou sua atuação em La finta amante como "execrável".

Rosa Manservisi deixou Viena na primavera de 1785 e cantou no Teatro San Moisè em Veneza com maior sucesso. Algum tempo mais tarde ela foi contratada em Dresden. Durante sua viagem pela Alemanha, Mozart encontrou-a naquela cidade em 1789, e escreveu para sua esposa Constanze: "Você não imagina o quanto ela ficou feliz em rever-me" (carta de 16 de abril). Ela se tornaria uma professora de canto muito requisitada em Dresden.

Sua irmã Theresa também participou da ópera La finta giardiniera K.196, no papel de Armida ou de Serpetta.


Parentes e amigos

Index